segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Mensagem de FIM DE ANO dos pequeninos !!!

PAIS e demais Encarregados de Educação:

Pedimos que não façam as coisas "à bruta".

Desejamos que usem o "bom senso",
que compreendam as nossas ideias,
que já temos a nossa personalidade.

Exigimos respeito e compreensão,
que respeitem a nossa época.

Que ao fazerem as coisas, respeitem a nossa
estética e a nossa "arte".
Nada de usar de métodos "drásticos" para
conseguirem os vossos fins.

Desejamos a todos um BOM ANO e, s.f.f.,
respeitem as nossas vontades e,
sobretudo, há que dar-nos "muito amor e carinho"

Apreciem o vídeo que se segue:

******************************
Nota do autor:
Esta mensagem foi inspirada pelos meus cinco netos, a quem desejo
tudo de melhor, com muito amor.

**********************************

Shaun The Sheep - Film2Crazy.com
PS: Caso o vídeo não abra link para:
http://www.veoh.com/videos/v1366981Xspt6QZB

domingo, 30 de dezembro de 2007

Para Todos... BOM ANO!! Cheio de coisas simples...

Carol of the Bells (Celtic Woman)




DESEJO


Desejo a você:
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
(mas cuidado com o joelho! rs)
Pegar um bronzeado legal
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel...
E muito carinho meu.

(Autor: Carlos Drummond de Andrade.)

sábado, 29 de dezembro de 2007

Galeria pintada à mão !!

Você acha que foi “pintado à mão”

Foi sim!!


Mas são, também, “mãos pintadas” (18 fotos)



sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

« Coisas que fazemos com as mãos !! »

Não pensem nada de mal!!


Vejam apenas o vídeo abaixo, com uma recriação de uma música
dos Rolling Stones feita nos anos 60 (cujo link também apresento) e,
que mostra o « instrumento » (a mão) a tocar a musiquinha.

UNDER MY TUMB", THE ROLLING STONES



Crédito para O Jumento

Ainda não chegámos a tanto!!

Com o alvorecer de um Novo Ano (2008) e tantos progressos feitos
convém ver como o "sonho comanda a vida" e
"sempre que um homem sonha" o
"mundo pula e avança".

Esta animação da Disney de 1958 é uma grande visão sobre o
nosso possível futuro.
É interessante ver como algumas das idéias já são hoje
uma realidade, mais ou menos,
quando outras ainda estão realmente distantes!
Mas acho que com o tempo lá chegaremos!!
Não sei é se estarei cá para ver!!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

O mundo devia ser das crianças !!!

Distam mais de vinte anos desde que este conjunto de vozes fez esta acção meritória .
(We are the world)

Afinal ?? Sim, afinal o que resultou de tais acções?

Estes senhores todos deram alguns cêntimos da venda desta “cantiga”,
nós fomos na “cantiga”,
gastámos alguns tostões comprando a musiquinha.

Afinal a “música” continua a mesma!!!
Nada melhorou para as crianças deste mundo.
Veja-se o “Darfour”, a Somália, o Congo, o Iraque, o Afeganistão e
tantos outros sítios, que se não é pela guerra, são as secas,
as catástrofes, os abusos de poder, a escravidão, a exploração humana e tantos outros “eteceteras” que poderíamos nomear.

Fica a esperança de que, em 2008, alguém faça alguma coisa
para ir minorando tudo isto.

Enquanto “Há tempo, há esperança”.
Mas que é “URGENTE”, é sim, meus senhores.




Title: "We Are the World"
Artist: Michael Jackson and many others
There comes a time
When we heard a certain call
When the world must come together as one
There are people dying
And it’s time to lend a hand to life
The greatest gift of all

We can’t go on
Pretending day by day
That someone, somewhere will soon make a change
We are all a part ofGod’s great big family
And the truth, you know love is all we need

[Chorus]
We are the worldWe are the children
We are the ones who make a brighter day
So let’s start giving
There’s a choice we’re making
We’re saving our own lives
It’s true we’ll make a better day
Just you and me

Send them your heart
So they’ll know that someone cares
And their lives will be stronger and free
As God has shown us by turning stone to bread
So we all must lend a helping hand

[Chorus]
We are the world
We are the children
We are the ones who make a brighter day
So let’s start giving
There’s a choice we’re making
We’re saving our own lives
It’s true we’ll make a better day
Just you and me

When you’re down and out
There seems no hope at all
But if you just believe
There’s no way we can fall
Well, well, well, well, let us realize
That a change will only come
When we stand together as one

[Chorus]
We are the world
We are the children
We are the ones who make a brighter day
So let’s start giving
There’s a choice we’re making
We’re saving our own lives
It’s true we’ll make a better day
Just you and me

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Recomeçar ..... Vida

Recomeçar ...



Vida...


A vida é um conceito multifacetado. Pode-se referir ao processo em curso do qual os seres vivos são uma parte; ao espaço de tempo entre o nascimento e a morte dum organismo; a condição duma entidade que nasceu e ainda não morreu; e aquilo que faz com que um ser vivo esteja… vivo. Metafisicamente, a vida é um processo constante de relacionamentos.



*******

"Que era, então, a vida? Era calor, o calor produzido pela instabilidade preservadora da forma; era uma febre da matéria, que acompanhava o processo incessante decomposição e reconstituição de moléculas de albumina, insubsistentes pela complicação e pela engenhosidade." - Thomas Mann
"Quem não sabe o que é a vida, como poderá saber o que é a morte?" -
Confúcio
"A vida não é motivo de riso. Mas, já imaginou ter de viver sem rir?" -
Leonid S. Sukhorukov
"A vida sem reflexão não merece ser vivida." -
Sócrates
"Quem vive temeroso nunca será livre." -
Horácio
"Quem não ama a vida não a merece." -
Leonardo da Vinci
"Feliz de quem atravessa a vida inteira tendo mil razões para viver." -
Dom Hélder Câmara
"Vivem somente os que lutam." -
Victor Hugo
"Viver muito. Eis a ambição de quase todos. Poucos, porém, têm ambição de viver bem." -
John Hughes
"A vida nos parece fácil, quando se trata da vida dos outros." -
J. Normand
"A arte de viver consiste em tirar o maior bem do maior mal." -
Machado de Assis
"Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe." -
Oscar Wilde. "Viver é maravilhoso, o dificil é viver sem viver a vida feliz."

Efeitos e "enfeites" de um Natal "bem passado"

Malta......

O meu Natal foi excelente !!!!

De tal modo que...

Depois da festa eu...
Já me comportava assim:

Línguas

Para a Ana (pessoana)

Língua
Materna,
Penso,
Uso,
Terna,
Abuso …

Língua
Do amor,
Penso,
Traduzo,
Penso o que
Traduzo?
Uso o que penso?
Ou desuso…
***
Que confusão…
Me escuso

Escusado será dizer, que continuamos a ser agraciados com o bom uso das palavras que faz no seu blogue e,

Por isso, acho que…


Votos de FELIZ ANO 2008
Para você e todos os seus.

domingo, 23 de dezembro de 2007

"Minha 5ª Sinfonia"

Eis uma música criada por um grande "Alentejano"




Paco Bandeira

A construção deste poema, para a maioria dos jovens, é totalmente fora do contexto actual.

Nós da geração de 60/70, gostámos desta canção, por tudo o que estava envolvido nela, as palavras sobre músicas, filmes, pessoas e situações que nos deixaram muitas e boas recordações.

Por isso, e para que os jovens de hoje possam apreciar aquilo que vivemos nessa época, passo a "dissecar" o poema com "links" para algumas das definições das palavras escritas.

Espero que gostem e votos de BOAS FESTAS e BOM ANO NOVO


Minha 5ª Sinfonia

Quando me lembro quem eras,
Desse corpo que foi nosso,
Desse amor que não deu certo.

Era o tempo das quimeras,
Das palavras em silêncio,
Quando mais longe era perto.

Tinhas nos olhos a esperança,
Os desejos de aventura,
As ilusões que eram minhas.

Nos momentos de ternura,
Tinhas nos seios a graça,
Das primaveras que tinhas.

“E foste a música que em mim ficou,
Quando a distância nos fez separar,
Ando louco para te encontrar”.

Foste a “5ª Sinfonia”,
Fuga da nossa verdade,
Sonata tocada em mi”.

Foste o meu sol afinado,
Neste samba de saudade,
Vinicius, Nara e Jobim.

Foste verso de balada,
Foste pintura abstracta,
Meu “Bolero de Ravel”.

Foste música sonhada,
Numa canção de “Sinatra”,
Com um poema de “Brel”

“E foste a música que em mim ficou,
Quando a distância nos fez separar,
Ando morto para te encontrar”.

Foste estrela de cinema,
Minha “Dama de Xangai”,
Hiroshima meu amor”.

A minha “Grande ilusão”,
Eras “Fúria de viver”,
Quanto mais quente melhor”.

Grande amor da minha vida”,
Senso, silêncio, paixão
Buñuel”, “Fellini”, “Truffaut”.

Foste “Luzes da ribalta”,
Música no coração”,
E tudo o vento levou

“E és ainda o que me faz sentir,
Dentro da vida p’ra te cantar,
Ando louco para te encontrar”
... Para te encontrar ...

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

VIVA MELHOR !!!

La Serinissima (Loreena McKennitt)

*****
Meus votos para o NOVO ANO
Para todos os meus amigos e bloguistas.


De:Benjamin Franklin

Viva Melhor!

Viva Melhor!
Faça como os passarinhos:
comece o dia cantando.
A música é alimento para o espírito.
Cante qualquer coisa,
cante desafinado, mas cante!
Cantar dilata os pulmões e
abre a alma para tudo de bom
que a vida tem a oferecer.
Se insistir em não cantar,
ao menos ouça muita música
e deixe-se absorver por ela.

Ria da vida,
ria dos problemas,
ria de você mesmo.
A gente começa a ser feliz
quando é capaz de rir da gente mesmo.
Ria das coisas boas que lhe acontecem,
ria das besteiras que você já fez.
Ria abertamente para que todos
possam se contagiar com a sua alegria.
Não se deixe abater pelos problemas.
Se você procurar se convencer
de que está bem, vai acabar acreditando
que realmente está e quando menos perceber
vai se sentir realmente bem.

O bom humor, assim como o mau humor,
é contagiante. Qual deles você escolhe?
Se você estiver bem-humorado,
as pessoas ao seu redor também ficarão
e isso lhe dará mais força.
Leia coisas positivas.
Leia bons livros, leia poesia,
porque a poesia é a arte de azeitar a alma.
Leia romance, leia a Bíblia,
estórias de amor, ou qualquer coisa que faça
reavivar seus sentimentos mais íntimos, mais puros.

Pratique algum esporte.
O peso da cabeça é muito grande
e tem que ser contrabalançado com alguma coisa!
Você certamente vai se sentir bem disposto,
mais animado, mais jovem.
Encare suas obrigações com satisfação.
É maravilhoso quando se gosta do que se faz,
ponha amor em tudo que está ao seu alcance.
Desde que você se proponha a fazer alguma coisa,
mergulhe de cabeça!
Não viva as emoções mornas,
Próprias de pessoas mornas.
Você pode até sair arranhado,
mas verá que valeu muito mais a pena.

Não deixe escapar as oportunidades
que a vida lhe oferece, elas não voltam!
Não é você quem está passando,
são as oportunidades que você deixa de usufruir.
Nenhuma barreira é intransponível
se você estiver disposto a lutar contra ela;
se seus propósitos forem positivos,
nada os poderá deter.
Não deixe que seus problemas se acumulem,
resolva-os logo.
Fale, converse, explique, discuta, brigue:
o que mata é o silêncio, o rancor.
Exteriorize tudo, deixe que as pessoas saibam
que você as estima, as ama, precisa delas,
principalmente em família.
Volte-se para as coisas puras,
dedique-se à natureza.
Cultive o seu interior e
ele extravasará beleza por todos os poros.

Agradeça a Deus o que você tem
e você sempre terá mais do que precisa.
Tenha fé em algo mais poderoso
do que você mesmo, em Deus.
Você terá estímulo para viver,
do contrário nada fará sentido.
Não tente, faça.
Você pode!
Perca tempo escolhendo um amigo,
mas perca ainda mais quando tiver que trocá-lo.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

E ..... eu aqui !!


Quase.....


Marioneta .....


Ainda esperando SER MAIS FELIZ !!!!


********


Bem hajam, Luz e Marco, pelos textos.

CAMINHADA .... Preciso de você!!


(PS: Desculpem os erros de português aplicados no vídeo. O jovem se entusiamou... mas, na verdade o que conta foi a "intenção")

***********

Caminhada


“Se eu puder caminhar observando a amplidão do horizonte...

Não terei pressa, andarei mesmo assim com passos largos...

Terei a minha frente o infinito e poderei construir minha passagem...

Se eu vejo a amplidão, me vejo sem limites...

Não existirá em meu trajeto obstáculos intransponíveis...

Mas preciso da amplidão como espelho...

Na verdade não quero o fim da caminhada,

não quero um objetivo a minha frente como uma marca de chegada...

Quero a trilha e dela sentir sede de conquistá-la para todo o sempre...

Se levantar os olhos e ver esta amplidão...

Estarei trilhando...
Passo a passo...
Estarei a caminho...

E com um horizonte tão imenso a minha frente, não terei retornos, não vou questionar o que passou...

Apenas irei...

Se eu olhar para o lado e você estiver lá...

Estarei sorrindo, e certo de que emoções vividas não são vãs...

Te oferecerei a minha mão e poderemos ir juntos...

Passo a passo...~

Em frente, com o mundo todo se abrindo a cada movimento e sem nunca querer chegar ao fim....

Você não é perfeita...

Não gosto de perfeição, mas o que existe em você, o que sinto...

O que "vejo" faz com que eu deseje olhar a amplidão, e queira caminhar em sua direção..."


(http://tutass.blogs.sapo.pt/)


terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Formiga Bossa Nova

(Foto de Pedro Miguel Rodrigues)


Amália Rodrigues
:

Esta senhora, grande embaixatriz do nosso fado, deixou muitas saudades.
Cantou não só o fado!! Cantou de tudo, inclusivé Gershwin.
A cantiguinha que se segue (agora na versão de Adriana Calcanhoto) foi,
sem dúvida, uma das que eu, em moço, gostava imenso de "cantarolar".


********

Graças ao "Sombras na areia"
( http://sombrasnaareia.blogspot.com/ ),
eu passo a incluir todo o artigo por ele publicado:


Adriana Calcanhoto


Formiga Bossa Nova


Minuciosa formiga
não tem que se lhe diga:
leva a sua palhinha
asinha, asinha.

Assim devera eu ser
e não esta cigarra
que se põe a cantar
e me deita a perder.


Assim devera eu ser:
de patinhas no chão,
formiguinha ao trabalho
e ao tostão.


Assim devera eu ser
se não fora não querer


*********


Sonhos .... distantes!!

Com o friozinho que se faz sentir aqui (Lisboa > Portugal),
muito nos apraz sonhar com terras distantes,
férias diferentes, comidas e frutas exóticas,
danças mexidas (de abanar bem o capacete).

Imbuido no espírito de Natal, nos filmes que apareciam nessa época nos cinemas da Avenida, em que tínhamos a “liberdade” de passear por uma certa Lisboa e que sempre nos enchiam de sonhos em miúdo, e, para que se adaptem aos sonhos presentes de bem viajar, aqui vai um excerto da “moderna” Branca de Neve.

Espero que gostem e BOAS FESTAS e...... boa dança!!


Branca de Neve e o Tao-Tao



segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Cenas ... que marcam !!!

Po vezes, no meio de um “zapping desenfreado” em que buscamos
algum programa que nos possa prender a atenção,
dado que a maioria não presta mesmo, resolvemos parar
em qualquer parte e ficar por ali,
pois já estamos cansados e onde paramos
é o mais suave, sem violência, enfim tolerável.

Parei num canal (nem lembro o qual) em que passava
um filme “família” que já estava em adiantado estado de exibição,
mas que gostei principalmente das cenas finais.

Ocasionalmente, venho a descobrir esse final no “YouTube”,
e que, dado a ser um momento musical (e música, eu gosto),
eu passo a apresentar de seguida.


Cena do Filme: "Um Amor p`ra Recordar" (A Walk to Remember) que a Jamie Sullivan (Mandy Moore) canta durante a peça de teatro para Landon Carter (Shane West)
Musica: Only Hope cantada por Mandy Moore



Bolero ... dos boleros!! (Há boleros ... e “Boleros”) !!!

Desde moço que esta música me impressionou, talvez por ser
um miúdo um tanto solitário, um rapaz muito igualzinho a
mim mesmo, dia a dia, todo sempre no mesmo compasso,
sempre repetitivo, seguindo sempre os princípios
de uma vida em que eu tinha “quase nada”
e em que, cada dia era igual ao outro (senão pior),
sem ligações a outra coisa que não “casa > escola, escola>casa”.

Daí eu, desde o primeiro dia que ouvi este “Bolero”, com esses
compassos tão contínuos e repetidos, fiquei a “adorar” e a parar ,
fechar os olhos, para me deleitar com esse “bater”compassado,
quase idêntico ao bater de um coração.

Verdadeiramente, amei, amo e amarei.

Obrigado (desconhecida) Cecília, por m’o recordar uma vez mais.

Feliz Natal e Bom Ano Novo para a senhora e todos os seus.


Bolero (de Ravel)
Bailado: Maurice Béjart, 1927-2007




Publicada por Cecília em 23.11.07
( http://facelua.blogspot.com/ )

sábado, 15 de dezembro de 2007

FELIZ NATAL E BOM ANO NOVO



Apesar de andar um pouco “desligado” do mundo, alheado de muitas amizades do passado, desaparecido e desagradecido, ao criar este blog, criei “laços” para novas “amizades” (desconhecidas) mas, que no meio de toda a minha “ausência”, me fazem reviver mentalmente quem passou por minha vida, e ansiar por retomar todos esses contactos.
Me perdoem todas estas “ausências” e “desencontros” que a vida tem criado. Espero poder “reacender” todas essas amizades e o vídeo acima é dedicado a todos aqueles que sempre me estimaram e, ainda, para todos os leitores deste meu “bloguito”.

A todos o meu bem haja e votos sinceros de

FELIZ NATAL E PRÓPERO ANO NOVO
(se acaso as “Finanças” deixarem) !!!

AMAR, AMAR ... E quem se perder ... Que se encontre !!

Pensamento.....

"Amar significa amar o que é difícil de ser amado, de contrário não seria virtude alguma; perdoar significa perdoar o imperdoável, de contrário não seria virtude alguma; fé significa crer no inacreditável, de contrário não seria virtude alguma. E esperar significa esperar quando já não há esperança, de contrário não seria virtude alguma".

(Gilbert Keith Chesterton)


AMAR É PERDOAR

O amor é basicamente do coração,
mas todos nós temos tentado desviar-se do coração,
porque ele é lógico, não é racional.
O coração não tem lógica,
mas tem sensibilidade, perceptividade.
E se a questão de escolha
entre a mente e o coração se levanta,
dê razão ao coração,
porque a mente é uma criação nossa e está sujeita a erros.
Se você ama uma pessoa,
então você não interfere na privacidade dela.
Você deixa intocada a privacidade dela.
A exigência básica do amor é:
"Eu aceito a outra pessoa como ela é".
O amor nunca tenta mudar a pessoa em função da gente.
Você não tenta moldara pessoa e deixá-la do seu jeito
- o que tem sido feito em todos os lugares do mundo...
Se você ama a pessoa, não existem condições.
Se você não ama, quem é você para impor condições?
O ciúme é algo feio que está por trás desta coisa linda que é o amor.
Se apesar do ciúme o amor ainda permanece,
então você tem algo valioso em sua vida,
que vale a pena.
Por que ser possessivo?
A possessividade mostra simplesmente uma coisa
- que você não consegue confiar.
A confiança é certamente um valor mais alto e importante no amor.
O amor é lindo quando acompanhado de confiança,
porque o amor não pode existir sem a confiança.
Estarem juntos é aprendizado enorme
- em perdoar, em esquecer, em compreender
que o outro é tão humano quanto você.

( OSHO )


Nat King Cole >> “When I fall in love” (1957)
(Adicional: Natalie Cole, em 1987)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Também gosto de bolachas "Belgas"!!

Música que aquece o coração (Maria João > Mário Laginha)







"Quem bem quer contar, deve contá-lo em forma de conto, ou então não conte nada"

O meu bem haja para a Ana (autora do texto abaixo)

**************



Quarta-feira, 28 de Novembro de 2007


O sonho do psicanalista


O psicanalista sonhou o sonho da sua vida e nesse sonho era ele que se deitava no divã. Falava para o tecto. Não demorou a perceber que afinal falava consigo próprio, pois também ele se sentava na cadeira do psicanalista.No sonho sonhava que se deitava, embora já estivesse deitado. No fundo, a sensação era a de se afundar mais um pouco no divã. Sentia-se extremamente confortável. Pedia: "Analise-me!" e o psicanalista retorquia: "Analise você!". Um deles olhava para o tecto, o outro olhava para o primeiro.Silêncio, um silêncio profundíssimo e ele um pouco mais deitado do que antes, no fundo de si mesmo, cada vez mais no fundo. Uma voz pedia-lhe: "Fale-me dos seus sonhos!" e ele reclamou silêncio, um pouco mais de silêncio, ainda mais silêncio, o maior silêncio de todos. Explicou: "Aquele silêncio que vem de dentro e é opaco, impenetrável". Ele deitado no divã e sentado na cadeira: via-se a si próprio na posição do outro e já não sabia quem era.Quis falar de um sonho e tentou lembrar-se de um. Contou que estava deitado num divã, que pedia ao psicanalista: "Analise-me!" e que este lhe retorquia: "Analise você!". Depois disse que afinal aquilo não era um sonho, que era o momento dentro do sonho e que portanto era real. Tentou falar de outros sonhos e, quando abriu novamente a boca, não tinha voz. O psicanalista deixara de o ouvir, observava-o apenas. Ele deitado no divã a esbracejar, sem uma palavra para dizer.(Visto assim, do lugar do psicanalista, o psicanalisado mais parecia um náufrago. Morreria afogado no divã a qualquer momento.)O psicanalista ainda disse: "Fale-me de um sonho que não esse!" e o outro, cada vez mais deitado, queria dizer-lhe bem alto: "Só conheço os sonhos dos outros", mas a sua boca não produzia sons.Na manhã seguinte, o psicanalista acordou no seu próprio divã e não conseguia levantar-se. Agitava os braços no ar, agarrava-se às almofadas, mas tudo parecia afundar-se com ele. Era o divã que o engolia e o psicanalista, quando se cansara da luta, deixou-se estar naquela enorme boca.Tinha a esperança de que se tratasse de um sonho dentro do sonho.Mas era evidente que não.O psicanalista não sabia nada sobre o seu universo onírico. De facto, só conhecia os sonhos dos outros, alimentava-se deles, vivia para eles. E naquele dia, os outros – unidos por aquele divã e já sem sonhos para sonhar – comiam-no vivo. Para terem os seus sonhos de volta.
(O chamado sonho contra sonhador.)


Publicada por pessoana

(http://www.belgavista.blogspot.com )

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

“Como o mundo seria maravilhoso”

Louis Amstrong – “What a wonderful world”



Para isso:

Bastava-me

Não me prometas a lua, quando apenas podes abrir a janela na noite fria, e dar-me o luar.
Não me prometas o sol, quando apenas me podes dar o calor do teu corpo e dos teus lábios.

Não me prometas o mar, quando apenas me podes molhar com o teu suor e me mostrar onde reside a verdadeira imensidão.

Não me prometas o ar, quando o meu oxigénio é apenas o teu corpo e a tua alma nus.

Não me prometas os frutos mais doces, quando só a tua presença adoça os meus tristes dias.

Não me prometas a flor mais bela, quando a verdadeira beleza reside na inocência do teu olhar.

Não me prometas o mundo, quando apenas um quarto, uma sala, um jardim, uma praia me bastam.

Não me prometas amor eterno

porque um único momento bastaria para eu provar a felicidade plena.


(http://secretamentetua.blogs.sapo.pt/ )

“To whom it may concern”

“Foi feitiço” (André Sardet)








Novo Amor; o amor do novo.
É, amor, a vida é dura. Eu sei. Por quantos cantos mais caminharei? Em quantas galaxias mais viajarei? Só nos resta prosseguir a estrada, só nos resta subir a montanha do vale da morte. Por sobre abismos atravessar. A vida é dor, eu sei, Amor. Velhos sabios já diziam: é necessário o caos para dar luz a uma estrela cintilante; é necessário atravessar o abismo, mesmo sendo perigoso, bambear e cair. Campos de neve, vejo bem. Meus sonhos me contam coisas inacreditaveis meu bem, e os seus também. É um mar de ondas que nos segue. Eu peço um barco, será que ele vem? Segure firma na escada da vida. Suba, sempre. Suba sempre. Segure firme. Te protegerei. Entre o choro e o risco há sempre algo sagrado. A vida sempre brilha, ela iradia Deus em cada canto, em cada raiar de dia. E novas manhãs trazem sempre novos frutos, e novos dias, mesmo que dolorosos, são sempre maravilhosos.

in “Lux et VolupTas

Vincent (Van Gogh)

Não sou entendido em pintura, nunca me debrucei sobre essa arte.
Mas, gosto imenso de música.
Em tempos, tinha recebido em forma de “powerpoints” uma
apresentação fotográfica de quadros de Van Gohg,
com uma música que foi dedicada ao pintor,
criação de Don McLean.

A minha filha mais nova, chamou-me à atenção para
a referida apresentação,desta vez em vídeo,
que se encontra no YouTube.

“"Somente a criatividade nos aproxima da divindade; 
e o artista, o poeta, é criador. Longa vida à arte! 
Ela apenas nos eleva acima da terra e nos torna dignos do céu."

W. H. Wackenroder,
in “Lux et VolupTas
*******

Vincent (Starry Starry Night) - Don McLean



*******

Tempo

"Mortos Vivos em Townie City"

O que somos nós que nos dizemos livres?
Uma caricatura induzida de liberdade,
Uma alucinação coletiva de um modo de "ser-no-mundo"?
Uma marionete livre dentro do espetáculo?
Sobreviva até a velhice,
Humanisticamente inumano
Solte um grito de catarse possuído
Só mais uma parte do espetáculo definido
Nada parece se encaixar na era da modernidade
Tudo é tão fluxamente estático
Que chegamos realmente a achar que a roda gigante gira,
Que o rio flui e o que o novo presidente vai mudar as coisas,
Enfim, achamos até que somos livres,
Afinal, "livres", até achamos que somos!
!Achamos que sobreviver é viver
Sobreviver, é perder a chance de viver
E viver, é perder o direito de sobreviver,
Pelo menos aqui, em "Mortos Vivos em Townie City"

in “Lux et VolupTas

sábado, 8 de dezembro de 2007

Gente ... "Longe do mundo"



(Sara Tavares >> Longe do mundo)


Pelas estradas da vida muito conheci...
Deparei-me com pessoas que pareciam pequenas mas,
no entanto, se fizeram grandes dentro do meu peito...
Conheci outras, porém, que se faziam de grandes
e no fundo eram pequenas demais...
A estas faltava a luz necessária, esta...
Oriunda dos grandes guerreiros...Sim, deles!
Gente que se dispõe a brigar pela vida.
A correr atrás, como dizem, a buscar seus objetivos,
gente que busca ser feliz e briga por ser...
Gente que não liga para que o vizinho fale, e,
aprende logo, a escutar seu grande amigo, o seu próprio coração...
Gente que pode até mesmo cair, mas sabe se levantar...
E o faz com tanta elegância que muitos nem percebem a sua queda...
Gente que constrói um mundo ao seu redor e se torna líder.
É amado por muitos, às vezes, até mesmo por aqueles a quem não vê...
Gente que sabe o que quer dizer as palavras: amigo, gratidão, amor...
Gente que faz o seu próximo sorrir e nunca chorar;
que sabe ser acalento às dores e, não a provocá-las.
Gente que sabe o valor das pequenas coisas,
que passa pela vida e deixa saudades.
Que é amado, que tem quem cuide de si e se preocupe...
Gente que sabe viver um grande amor, que sabe se entregar sem limites...
Que de uma linha simples faz um lindo verso...
Gente que vem para mostrar o caminho e não ser ditador de almas...
Que permite aos outros serem como são; não se importando com suas vidas...
Mas estando prontos a dar-lhes as mãos...
Não esperando que lhe seja pedido, mas sempre indo ao encontro destes...
Gente que sabe o peso de ser chamado de “amigo”,
de “meu amor”, de “poeta”...Enfim, gente que é gente!...
Que é simples no contexto e revela aos outros
o quanto é grande para cada um...
Porém, esta “gente” só existe certamente, porque nunca;
em tempo algum, foi em sua trajetória, covarde!
Principalmente, pessoas covardes de si mesmos, deixando de serem felizes,
simplesmente para parecerem fortes!...
A você que é gente, meu aplauso...
A você que é covarde minha lágrima...
Mas com a esperança que um dia possa lhe chamar de "grande".

>>Paulo Nunes Junior SP Brasil

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

“Scrat” ( O esquilo desastrado) !!





Artigo: “Mais uma do Serviço de Finanças do Terreiro do Paço” (em “O Jumento”)

Ao inserir no artigo acima mencionado algumas fotos do Scrat (o esquilo de “Idade do Gelo 2”), fez-me voltar a admirar tal “figuraço” , que comete deslizes devido ao “quem tudo quer, tudo perde”.

Alguém comentava há tempos sobre ele, neste modo:

“Abro este tópico para homenagear aquele que é o meu maior exemplo de vida: Scrat, de A Era do Gelo. Grande modelo de conduta, Scrat nos mostra que jamais devemos desistir dos nossos objetivos. Por piores que sejam as adversidades. Sua peleja e cruzada pessoal em busca da sua noz, superando todos os obstáculos, por maiores que eles sejam, é para nós exemplar e invejável... e nos dá coragem para nunca desistir daquilo que buscamos”

Sem dúvida, que também é um dos meus heróis, que me deixa a pensar nas “mudanças” que há que fazer na continuidade dos meus dias.

PS: Decerto, concordarão comigo depois de verem o vídeo acima.

Sózinho




“O mundo não é senão o teatro da escravidão; a solidão é o verdadeiro campo da liberdade”


Desconheço quem o disse, mas reflecte muita da solidão que impera por aí (especialmente nos grandes centros urbanos).
Muiras vezes dou comigo numa solidão (espiritual) profunda. Estou no meio duma multidão (bem acompanhado até) mas totalmente absorto (vulgo, no mundo da lua) e, sentindo que o que se passa é apenas uma sensação de solidão, de falta de comunhão de ideias. Olho para a gente que passa e procuro em algum olhar uma solidão idêntica, uma alma sofredora do mesmo mal (e, posso dizer, que não sou sozinho neste aspecto).
Fico pensando nos “porquês” e não consigo encontrar resposta precisa. Não é infelicidade, apenas a vontade de ser compreendido na maneira de pensar, na minha maneira de ser. Que o meu espirito me proteja e os meus pensamentos sejam sãos. E que eu possa ser sózinho, à minha maneira.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

"Coisas Pequenas" nem sempre são ... pequenas coisas!!

Madredeus >> Coisas Pequenas





Pequenas coisas:

Até hoje tenho-me limitado a inserir pequenas coisas baseadas no conceito de "coisas que eu gosto", algumas retiradas de blogues amigos (desculpem se, por vezes, eu esquecer de os mencionar), outras de diversos sítios mas que, devido ao seu conteúdo, me dizem muito. Por isso, são antes "coisas pequenas" mas com um grande valor de estimação ou de recordação.

Sou simplesmente alguém que sempre esteve "ocupado" com o trabalho e que descurou passar para escrita toda a sua vivência. Limitei-me a ser "trabalhador" e a deixar-me "ser trabalhado". Hoje, desocupado, quero libertar-me desses estigmas e de certas "amarras" . Tentar ser EU, no mais completo senso da palavra.

Quero me redimir de "erros" passados em que permiti "ser manipulado" constantemente e, sobretudo "engolir" as minhas ideias e opiniões pessoais, exceptuando no domínio profissional. Tornei-me, pois, uma figura, de certo modo, "apagada", muito pouco "senhor do meu nariz".

A" mudança", a efectivar, vai ser penosa e prolongada. Terá que saltar imensas "barreiras", uma verdadeira corrida de obstáculos. Nada pior na vida de um homem que o "amarrotar" das ideias e o "aviltamento" de ideais.

Não são coisas pequenas e, muito menos "pequenas coisas". É tudo grande, de imenso valor, especialmente a consecução de objectivos. Estaremos cá para ver!!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

“Fazes muito mais que o SOL” !!

Tiago Bettencourt & Mantha - Canção Simples



Confiança....

O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova...


(Miguel Torga)

( http://www.vidaslusofonas.pt/miguel_torga.htm )

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Será que “as pontes” são uma “Lusitana Paixão ??

E... por falar de "Pontes" !!



Será que isto de "Pontes" é mesmo uma Lusitana Paixão??



*****









Dulce Pontes : Lusitana paixão

Música: José da Ponte; Jorge Quintela

Letra: José da Ponte; Fred Micaelo



Fado

Chorar a tristeza bem

Fado adormecer com a dor

Fado só quando a saudade vem

Arrancar do meu passado

Um grande amor



Mas

Não condeno essa paixão

Essa mágoa das palavras

Que a guitarra vai gemendo também

Eu não, eu não pedirei perdão

Quando gozar o pecado

E voltar a dar a mim

Porque eu quero ser feliz

E a desdita não se diz

Não quero o que o fado quer dizer


Fado

Soluçar recordações

Fado

Reviver uma tal dor

Fado

Só quando a saudade vem

Arrancar do meu passado um grande amor



Mas não condeno essa paixão

Essa mágoa das palavras

Que a guitarra vai gemendo também

Eu não, eu não pedirei perdão

Quando gozar o pecado

E voltar a dar a mim

Eu sei desse lado que há em nós

Cheio de alma lusitana

Como a lenda da Severa

Porque eu quero ser felizE

a desdita não se diz

O fado

Não me faz arrepender

Pontes (mas, não de pedra e cal) !!


Mais de um terço do próximo ano será para descanso

Paulo Baldaia

O ano que agora vai acabar, por caprichos do calendário, teve quatro feriados em dias de fim-de-semana - no caso do Porto teve cinco, porque o São João foi também a um domingo. E houve igualmente dois feriados a uma quarta-feira - em Lisboa, contando com o Santo António , foram três -, o que não facilitou o gozo da "ponte".

No próximo ano (2008), por ser ano bissexto, haverá mais um dia de trabalho (29 de Fevereiro), mas haverá igualmente mais dias de descanso. A distribuição dos feriados com data fixa pelo calendário dá mais dois dias de descanso a quem, parando sempre ao fim-de-semana, tem o São João como feriado municipal e mais um a quem festeja o Santo António.

São João à terça-feira

Em 2007, houve dois feriados ao domingo e dois ao sábado e em 2008 volta a haver dois ao domingo (a Páscoa é sempre ao domingo), mas apenas um ao sábado. Para quem vive no Porto, ou noutro qualquer município que festeje o São João, o feriado que foi este ano a um domingo será, desta vez, numa terça-feira.

As grandes "pontes", acessíveis apenas a alguns, é que não vão existir em 2008. Feriados a meio da semana (quarta-feira) foram dois este ano e não haverá nenhum no próximo ano.

O dobro das "pontes"

O calendário de 2008 é, sobretudo, amigo de quem gosta de fins-de-semana prolongados. Os feriados à sexta ou à segunda, ou seja, encostados ao fim-de-semana, foram apenas três em 2007, mas no próximo ano serão cinco no Porto e seis em Lisboa. Para quem pode fazer "pontes", com feriados à terça ou à quinta, a situação inverte-se. Ganha o Porto. Houve três "pontes" em 2007 e haverá sete em 2008. Lisboa terá menos uma.

É na arte de fazer ""pontes"", portanto, que os portugueses podem marcar a diferença no próximo ano em relação a 2007. Há o dobro das "pontes" para fazer.

Descontando a "ponte" que pode já ser feita, antecipando a entrada no Ano Novo (terça-feira), mas fazendo contas às restantes seis (cinco em Lisboa), juntando-lhe os cinco (seis em Lisboa) "encostos" ao fim-de-semana, mais os restantes fins-de-semana e os 22 dias de férias, os portuenses vão poder descansar 144 dias em 2008. Sem mais percalços, só vão sobrar 222 dias de trabalho. Lisboa terá menos uma "ponte" e, portanto, mais um dia para trabalhar.

Tentativas falhadas de mudar feriados

O problema do excesso de feriados em Portugal e da quebra de produtividade com o frequente recurso às "pontes" há muito que foi identificado e até já houve quem tentasse mudar a data dos feriados para evitar essas pontes.

Quando Cavaco Silva era primeiro-ministro enviou para Belém um diploma nesse sentido, mas o presidente Mário Soares vetou a iniciativa.

Cavaco em São Bento ficou também na memória dos portugueses por ter dado ordens à Função Pública para trabalhar na terça-feira de Carnaval, que até não é feriado oficial. A ordem do Governo foi uma vez sem exemplo. Nunca mais se voltou a pôr em causa um feriado que não existe.

Com Bagão Félix, ministro do Trabalho e da Segurança Social, voltou a falar-se em alterar os feriados, mas como houve de novo polémica, o assunto voltou a morrer nas páginas dos jornais.

No início deste ano, o assunto voltou a ser discutido. O presidente Cavaco Silva estava de visita à Índia e ouviu um empresário português sugerir que os feriados fossem "transferidos para as segundas e sextas-feiras". Cavaco sorriu e lembrou aos jornalistas a tentativa falhada que tinha feito quando era chefe do Governo. Nessa viagem estava também o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, que rapidamente esclareceu não haver "nenhum projecto em cima da mesa nesse sentido".

O Executivo não quer debater o assunto, mas os empresários há muito que pedem alterações para aumentar a produtividade, mas continua tudo na mesma. Portugal é, entre os países da União Europeia, dos que mais tem feriados.

0 Feriados à quarta-feira

Em 2007 houve dois feriados à quarta-feira (três em Lisboa com o Santo António). E em 2008 não haverá nenhum

7 "Pontes"

Este ano houve quatro "pontes" (feriados à terça ou à quinta). No próximo ano, o Porto terá sete (o São João é à terça) e Lisboa seis

6 "Encostos" ao fim-de-semana

Em 2008, Lisboa terá seis feriados à segunda ou à sexta e o Porto terá cinco

3 Fim-de-semana

Em 2008, haverá dois feriados ao domingo e um ao sábado

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

FLORBELA ESPANCA



Ser Poeta (Perdidamente)
Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhas de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente...
E é seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

PS: Adoro a versão cantada pelo Luis Represas (Trovante) mas, para variar, segue o vídeo na criação de Nuno Guerreiro (Ala dos Namorados) acompanhado por Sara Tavares.

Alguns se..s:




Não se acostume com o que não o faz feliz,

revolte-se quando julgar necessário.

Alague seu coração de esperanças,

mas não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar que precisa voltar, volte!

Se perceber que precisa seguir, siga!

Se estiver tudo errado, comece novamente.

Se estiver tudo certo, continue.

Se sentir saudade, mate-a.

Se perder um amor, não se perca!

Se o achar, segure-o!


sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Senhor do Tempo

O tempo vela meus sonhos.
Um mar me navega.
Revela um olhar distante.
Uma lua radiante.
Sou senhor do meu tempo.
Rabisco meus momentos,
fragmentos e flores colhidas
do porão do meu inconsciente.
Deixo o vento do amor me levar,
e uma brisa orvalhar de poesia
as fibras do meu coração.
Autor do texto : Roberto Passos do Amaral Pereira.
Imagem : ocafe.blogs.sapo.pt

Parapente no Alentejo (Alcaria Ruiva)

"Alentejo da minh'alma !!

Alentejo da minh'alma!!
Cada dia mais ...
Tão longe me vais ficando!!
*****
É como me dizia um amigo:
"Depois de morrerem os velhos,
Falta-nos a chama,
Aquilo que lá nos chamava,
Já não nos chama".

Me desculpa então!!
Alentejo da minh'alma!!
Tão longe me vais ficando!!

São casas vazias,
Portas e portadas
Fechadas.
São outros apelos, muita tentação.
Há os filhos, são os netos.
Há outra chama.
Acho, pois,
Justo o teu perdão.

Alentejo da minh'alma!!
Tão longe me vais ficando!!

E já, nem sequer,
Olho para trás chorando.

Me perdoa.
Alentejo da minh'alma!!
Tão longe me vais ficando!!

Voltem sempre !!

Aqui não se compra nada!!
Aqui nada se vende!!
Apenas se expressam
Ideias,
Coisas que eu gosto,
Sentimentos ...

Aqui não se vende nada!!
Voltem sempre!!

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

"Os Putos"

Eis um “fado”, com criação de Carlos do Carmo, que eu gosto particularmente.
Graças a “O Jumento” tive o previlégio de tomar conhecimento das imagens que se seguem, dignas do “melhor documentário biográfico” (sem palavras):

Cirque du Soleil

Cirque du Soleil estreia em Lisboa espectáculo "Delirium"

A companhia de circo moderno canadiana "Cirque du Soleil" estreia em Novembro, em Lisboa, "Delirium", um espectáculo multidisciplinar de música, dança, imagem e artes circenses, anunciou hoje a promotora Everything is New.
"Delirium" estreará no Pavilhão Atlântico no dia 28 de Novembro na primeira de uma série de cinco apresentações até 02 de Dezembro naquela sala de espectáculos.

*****

Saltimbanco, o mais antigo espectáculo itinerante do Cirque du Soleil, apresentado pela primeira vez em 1992, é descrito pelo Cirque como uma celebração da vida.
Os seus criadores dizem que o desenvolveram como um antídoto contra a violência e o desespero tão comuns no século XX.
Saltimbanco oferece a sua própria visão da vida, plena de optimismo e alegria.
*****

Este espectáculo (Saltimbanco) serve de base para aquele que se apresenta em Lisboa (Delirium), criado para espaços grandes como o Pavilhão Atlântico. Pena é, que esteja tudo praticamente esgotado. Era, sem dúvida um espectáculo que eu iria adorar ver.

Seguem-se alguns momentos do Saltimbanco:

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Força curadora


A base da filosofia da Louise Hay


A auto-aprovação e a Auto-aceitação estão na base das mudanças positivas:

gostar de nós é um compromisso para a vida!

Os nossos pensamentos criam a nossa realidade -

o que acreditamos sobre nós e a vida, torna-se a nossa realidade;

O momento presente é o momento de poder -

é aqui e agora que podemos começar a mudar no sentido de maior consciência e felicidade pessoais;

Podemos (e devemos) libertar-nos do passado, perdoando o que for necessário -

o perdão abre caminho ao Amor

O Amor é a força mais curadora do mundo

Josh Rouse

Hoje estou numa de homenagens:

Ao Marco, do "Deep Silent Complete",
por me ter dado a conhecer e
a procurar sobre "Josh Rouse".
Bem haja por o ter mencionado na narrativa.
E para quem, como eu, se
encontrava na "incultura" aqui vai:


Alentejanices ... Da Planície !!!

Uma pequena homenagem a dois blogues amigos.

Para a Luz ........."Da Planície", Vitorino (concerteza!!):




Para o António José Ramos ....do "Alentejanices", nada como "copiar" um texto tão significativo:

Língua Portuguesa...
Apenas a LÍNGUA PORTUGUESA permite escrever assim...

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque para poupanças preferiu pintar panfletos. Partindo para Portimão, pintou prateleiras para poder progredir. Posteriormente, partiu para Palmela, pernoitando, prosseguiu para Peniche, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulino pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas. Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Penafiel, povoação patrícia, para pedir permissão para prosseguir praticando pinturas - Pai, prefiro prosseguir pintando, preferindo, portanto, Paris. - Partindo para Paris, passou pelos Pirinéus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se, principalmente pelo pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potros. Pisando Paris, pediu permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se. Profunda privação passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, penosas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... – Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses. Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo. - Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém pai Pascoal partira para província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Pai Pascoal para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, pai Pascoal puxando-o pelo pescoço proferiu: - Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pedro pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? - Pai, - proferiu Pedro Paulo - pinto porque permitistes, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal. Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando. Primeiro, pescaram poucos peixes, porém, passando pouco prazo, pescaram peixes pequenos, peixinhos, peixões. Partiram pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, pai Pascoal procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito. Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo pereceu pintando...
Permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar. Pensei. Portanto, pronto: Pararei!
.
.
E há quem se ache o máximo quando consegue dizer rápidamente:

"o rato roeu a rolha da garrafa de rum do rei da rússia."
ou
“um tigre, dois tigres, três tristes tigres”
António José Ramos

Ai...Que saudades eu tenho da ....!!



didizaprata

Nao tem jeito!É genética mesmo! Maria Rita deve sim, se orgulhar muito de se parecer com a mãe! Confesso que chorava muito, no inicio, qd a ouvia, pois me lembrava demais a mãe! Era como se a Elis estivesse de volta através da filha e como eu sou fã da Elis, e senti muito a sua ida, me sinto agraciada de poder ouvir a continuação através dessa cantora maravilhosa...Ave Maria Rita!

*****

Faço minhas as suas palavras. Estou ansioso de a ver esta semana, algures por aqui em Portugal.

E... por falar de Mascotes, uma que me caiu no goto....



Sexta-feira, 2 de Março de 2007
O meu primeiro post
Olá! Eu sou o Vasco! Nasci na Atlântida e agora estou a viver no Oceanario! Gosto muito de lá estar porque são todos muito simpáticos!Vem visitar-me ao Oceanário de Lisboa e aprende muitas coisas acerca dos animais marinhos e de como podes ajudar-me a manter os oceanos limpos e bonitos!Preciso de toda a vossa ajuda para salvar os oceanos! Conto com vocês! E não se esqueçam... o Vasco é boa onda!!! ;-)

( http://vasco_oceanario.blogs.sapo.pt/ )

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Kalachakra - a Roda do Tempo



(Clicar na imagem para ampliar)

De louco e de bobo .....

Duvidas (e a falta delas) Cartesianas

Penso, logo existo.
Ao pensar descarto qualquer duvida de uma possível loucura,
Não cogito sobre ela, logo não sou louco.
O louco não cogita sobre sua loucura,
Logo, ele não é louco,
Alem do que, o louco não pensa,
Logo, ele não existe,
E é tão louco (inexistindo) que é o menos loucos dos seres,
Pois é o único que ainda não cogitou realmente sobre sua loucura.

http://muitaluz.blogspot.com/2007

Coruche

Sabem que nem conheço Coruche!!

É verdade, apenas me lembro de Coruche e presto mais atenção a ela, desde que uma grande amiga foi trabalhar para lá, mais própriamente na Misericórdia.

Encontrei num blog amigo um àlbum de fotos sobre Coruche e não perdi o ensejo de lhes mostrar o link:
http://www.flickr.com/photos/jumento/1365470163/ .

Fica também o nome do blog: "O jumento". Sítio digno de ser visitado diàriamente , tal é o interesse dos tópicos apresentados. É só clicar, pois ele encontra-se entre os meus blogues amigos (na lateral direita).
Façam "bom uso" e tenham todos uma óptima semana. Ah!! e não se esqueçam de serem FELIZES

Vida


"A Vida é uma descoberta que fazemos diariamente,
A Vida é uma oportunidade que recebemos,
A Vida é um caminho que temos de percorrer,
A Vida é um destino que ninguém pode escolher,
A Vida é uma peça em que não se pode ensaiar,
A Vida é uma história em que se pode ganhar,
A Vida é um jogo em que se pode amar,
A Vida é uma sonho que se pode realizar."


Citar: Maria João Reis

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Amar-se



Quando me amei de verdade – Charlie Chaplin

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome…Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é…Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver!!!

Mude, mudar é a essência da vida

Vivemos de forma repetitiva. Embora mudar seja essencial, resistimos às mudanças. Como dizia Haroldo Barros "... É notório que a mudança é a própria essência da vida. Muitas vezes, porém, sabemos que precisamos mudar, conhecemos as implicações que não mudar têm para nós, sabemos até COMO mudar, e simplesmente não o fazemos, seja por acomodação, preguiça ou medo. E assim criamos para nossa vida bloqueios, entraves e estagnação. Porém, se não foi por bem, será por mal! E assim pode se desencadear mudanças drásticas e explosivas na nossa vida."
Então tenho que mudar, aprender de novo, estudar, trocar, reiniciar? Ah! Isso é trabalhoso. Novo sistema, idéia, padrão - só com empurrão. Muitas vezes é pra melhor embora a príncipio não pareça.O simples fato de mudar, seja pra uma coisa ou outra, já torna a vida mais desafiadora. Então Haroldo conclui "Encare a mudança como um ajuste de rota, algo que lhe dá a oportunidade de, após a tempestade, reassumir as rédeas de seu destino e construir a sua vida, segundo os desígnios e propósitos elevados". Mude - mudar é a própria essência da vida.



publicado por amensageira às 00:35